MÃOS INATIVAS

Imprimir

Qui, 29 de Dezembro de 2016 02:47

AddThis Social Bookmark Button

MÃOS INATIVAS
Ministério Loucura da Pregação


Ontem, dia 28 de dezembro de 2016, aconteceu algo muito comum, mas que prendeu minha atenção e me levou a meditar numa Palavra que Deus havia me dito há dois dias. Estávamos trabalhando no templo e, de repente, começou a chover muito forte. Como o serviço estava sendo executado no terraço, paramos imediatamente e descemos. Neste intervalo, algumas pessoas procuraram abrigo no hall de entrada do templo. Já outras decidiram parar debaixo da marquise do prédio à frente da igreja. Uma cena bem comum, não é verdade? Qualquer pessoa agindo com prudência faria o mesmo. Procuraria um local para se esconder da chuva até ela parar. Mas para mim, esta cena jamais será comum novamente, devido a Palavra que ouvi há dois dias. Ouvi a voz de Deus falando comigo quando li a Bíblia. Ele sempre fala desta forma! O texto lido foi:

“Com a sua voz troveja Deus maravilhosamente; faz grandes coisas, que nós não compreendemos. Porque Ele diz à neve: ‘Cai sobre a terra’; e à chuva e ao aguaceiro: ‘Sede fortes’. Assim, torna Ele inativas as mãos dos homens, para que reconheçam as obras dEle” (Jó 37:5-7).

Não sei se você já fez isso algum dia, mas por curiosidade, nunca quis saber o que as pessoas estão pensando enquanto paradas esperando a chuva parar? E o que você normalmente pensa em uma situação assim? Pensamentos como “Vou me atrasar para chegar ao meu compromisso”, “Vai molhar a minha roupa”, “Por que eu não saí mais cedo?”, “Poxa! Precisava chover agora?”. A verdade é que até em situações assim, pensamos somente em nós mesmos ou em algo para o nosso benefício.
 
Vamos analisar o texto do livro de Jó. No verso 5 diz “Com a sua voz troveja Deus maravilhosamente; faz grandes coisas, que nós não compreendemos.”. O homem, através da meteorologia, consegue dizer que dia poderá chover, se haverá tempo ensolarado, mas até esta meteorologia às vezes falha. Confesse que em algum dia na sua vida você já riu ou debochou quando ela não foi precisa. O que o texto bíblico nos mostra é que, não somente na previsão do tempo, mas as coisas que Deus faz são tão grandes que não podemos compreender. Como no mesmo livro de Jó diz: “Prende as águas nas suas nuvens, todavia a nuvem não se rasga debaixo delas.” (Jó 26:8). Como as águas da chuva ficam presas nas nuvens e elas não se rasgam? Incrível! O homem pode até tentar explicar as obras de Deus, mas jamais conseguirá criar o que Ele criou e tampouco explicá-Lo. Em Jesus Cristo, Deus criou todas as coisas, e para Ele elas foram feitas. É impossível que o homem crie algo assim, pois sem Cristo nada existe. “Porque nEle foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por Ele e para Ele.” (Cl 1:16). Com Sua voz, Deus troveja maravilhosamente!
 
No versículo 6 vemos que Deus é quem controla os fenômenos da natureza: “Porque Ele diz à neve: ‘Cai sobre a terra’; e à chuva e ao aguaceiro: ‘Sede fortes’”. Esta afirmação é verdadeira. Creio muito nesta Palavra! Mas agora leia o que diz o verso 7: “Assim, torna Ele inativas as mãos dos homens, para que reconheçam as obras dEle”. Que incrível isto! A Bíblia dizendo que, quando a chuva é forte, as mãos dos homens ficam inativas, como foi ontem à tarde, onde paramos o serviço e as pessoas pararam para se abrigar. Por que Deus faz isto? Para que reconheçamos as suas obras. Quantas vezes você já parou em um dia chuvoso e reconheceu a grandeza das obras de Deus? Já esta cena, infelizmente, não é comum. Vemos pessoas reclamando, pensando em si mesmos, entregando a glória a “São Pedro” ou a “mãe Natureza”, mas são incapazes de reconhecer que é Deus quem faz estas coisas. Acredito que, como Pai, Deus usa estas coisas para chamar nossa atenção, para que possamos ver o quanto Ele é Poderoso e Soberano. Isto fica ainda mais interessante quando continuamos a ler o capítulo 37 de Jó e encontramos o seguinte verso: “E tudo isto faz Ele vir para disciplina, se convém à terra, ou para exercer a sua misericórdia” (vs. 13). Qual a intenção de Deus em fazer nossas mãos ficarem inativas por um tempo, nos fazer parar literalmente? Para que reconheçamos as suas obras, e através deste reconhecimento, o Senhor discipline o homem ou exerça sua misericórdia. Tanto um quanto o outro são fruto do imenso amor de Deus, pois Ele disciplina a quem Ele ama (cf. Hb 12:6) e dá esperança de misericórdia quando nos conservamos em seu amor (cf. Jd 1:21). Quando o amor de Deus é manifesto, nós só temos uma alternativa: Arrepender-se! Diante da grandeza de Deus, reconhecemos que somos insignificantes, a ponto de uma forte chuva ter o poder de nos paralisar e fazer inativas as nossas mãos. Diante da santidade de Deus, reconhecemos que somos pecadores e necessitados. É bom reconhecermos as grandiosas obras de Deus enquanto há tempo. Em tudo Deus nos chama para reconhecê-Lo. Como diz em Provérbios: “Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas” (Pv 3:6).
 
Qual foi a última vez que você parou para reconhecer as obras de Deus e se arrependeu dos seus pecados? Sabe por que muitos não reconhecem que são pecadores? Porque não reconhecem a santidade de Deus através de Jesus Cristo, “o qual é imagem do Deus invisível, o Primogênito de toda a criação (Cl 1:15), e esta falta de reconhecimento se dá pelo fato da “correria do dia a dia”. Corremos tanto que não vemos os sinais que se passam. O Senhor chama nossa atenção e nos faz parar para que reconheçamos as suas obras e entendermos a nossa minúscula estatura diante dEle. Quanto tempo você não para e O reconhece em sua vida? “Ah, mas eu já reconheci a Cristo!”. Reconheça-O em todos os seus caminhos (cf. Pv 3:6). Ao reconhecê-Lo, é impossível não se arrepender, pois não somos dignos nem mesmo da vida que reclamamos quando chove forte.  Para a disciplina e misericórdia Deus faz tudo isto, para que haja reconhecimento no coração dos homem para que se arrependam. O Senhor, por sua infinita bondade que está em Cristo Jesus, nos chama ao arrependimento. “Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?” (Rm 2:4).
 
Enquanto as mãos ficarem inativas, pare um pouco e reconheça-O. Arrependa-se!

 
Se ser cristão é loucura, eu sou um #LoucoSemCura!

 
DEUS TE ABENÇOE!
 

Pr.LucianoXisto – Ministério Loucura da Pregação




BAIXE GRATUITAMENTE NOSSO APLICATIVO:

LINKS PARA DOWNLOADS:

Google Play:
https://goo.gl/CQm3wa 
App Store: https://goo.gl/EGsNPw 
Outros: http://app.vc/loucuradapregacao